Renovação

Vida segue sua lida
bom que vá desmedida
o partido em ferida
recupera em nova vinda
quem haveria de saber
o sabor da tortura finda
presença que revigora
fundo dentro e tudo fora
quem haveria de saber, querido
aventura que explora
fundo dentro e tudo fora
que o peito aguente hora a hora
já que cresce como flora
coração que expande em mola
retorne jamais de agora
ao tamanho necrosado pela
dor que encolhe tudo embora

AB

IMG_20160513_214015

 

 

 

 

 

 

 

recovery 2, oil on canvas. 2016

 

Uno

Te caço em todo canto
te caço sob pranto
debaixo de tanto manto
mas pra ser sincera
mesmo com tanta espera
a imagem da tua luz
mesmo sob esse capuz
vai além de toda cruz
nem carece tanta prece
ou faz falta muita história
pra falar dessa tua glória
todo tempo na memória
aquecendo minha vida
o tempo todo vida afora

AB

Sinto seus olhos sobre meus passos
pegadas deixo no coração
aos pedaços e tento juntar
partes do meu que há pouco eram cacos
sinto sua vida sobre a minha
estampada em ferida aberta
sem solução remendo nem nó
mas com a certeza de que somos
ungidos num só embora a dor
de tentar desfazer-nos em pó

AB

couple2

Desvelo

Olhos sem superfície nem reflexão
nus da planície que de tudo te esconde
não vejo teus olhos te olho na fonte
do ser que nos funde e com fogo responde
quando foi te despojaste da membrana
que cobre a alma e outra alma engana
forçando-me ao êxtase do salto profundo
num mundo de chamas de vida fecundo
onde encontro a paz do eterno nirvana

AB

Sentinela

Confesso: somente um há que me
pode ajudar em tamanho impasse
tremendo tormento desastre que
se me apresenta em constante crescente
como um anjo da guarda vivente
não preciso evocar aos invisíveis
somente essa presença vagando
em minha mente já é suficiente
resolvendo questões das mais difíceis
contra tudo me defende e opina
insistente sobre minhas aflições
no silêncio da alma em seus rasgões
abranda a dor com suavidade
e me protege de toda maldade
agradeço-lhe em tom insistente
a existência desse amor em essência
que me obriga a transcender à matéria
me afastando desse mar de demência.

AB

DNA

Alastrado sob a pele como vida
Extirpá-lo tentei, inutilmente:
Raiz não concreta, da mais resistente
Matéria densa se mistura e se estranha
Mas essência ao misturar-se, se emaranha
Se nega ou afirma pouco se dá
Consigo presente sigo igualmente:
Corre-me no sangue alterado e pela veia
Onde me flui a vida e seu DNA passeia.
Sob o céu todos são afeiçoáveis
E num comum movimento inverso
Adentram-nos e se tornam confiáveis
Erigindo castelo de alicerce duvidoso
Onde almas se acorrentam incompatíveis
Ao invés de expandirem-se no venturoso:
Razão real do amor todo-poderoso.
Se nega ou afirma pouco se dá
Consigo corrente na veia igualmente:
Não mais embrionária, vegetativa ou dormente
Trago a alma de vida insuflada ainda que ausente.

AB

Small works em detalhe

DSC_0286

Margaux and the dog: “repos”, mixed media. 2013

DSC_0285

Anita and a child in: “repos”, mixed media. 2013

DSC_0228

“potpourri dans le trou” detail, acrylic on cardboard. 2013

DSC_0230

“potpourri dans le trou” detail, acrylic on cardboard. 2013

DSC_0238 (2)

musing Margaux in: “the three tenses”, mixed media. 2013

DSC_0274 (2)

“le gauche” detail, acrylic on card. 2013

DSC_0234

the overfull, detail of “the three tenses”. 2013

DSC_0275 (4)

naughty angel in “planet love” , detail. 2013

DSC_0213 (4)

riding Margaux and “the rider”, mixed media. 2013

DSC_0322

“over the rainbow” detail, acrylic on canvas. 2013