Labaredas

Seremos punidos um dia
por toda essa vida perdida
seremos queimados um dia
por toda essa letargia
de quem se crê no carrinho
de quem encontrou o caminho
de quem nega o presente
queimando no fruto a semente
daquilo mais puro que sente
Não há de ser o inimigo
a queimar-nos fundo no ouvido
labaredas no labirinto
mas a bile do próprio fígado
amargo por gritos e aflito
da inconsciência com o dia já ido
de amor em branco
de coração partido
Já somos punidos agora
por deixar a vida ir embora
presos por algum alheio conceito
deixamos do amor passar o perfeito
que nos nasce aflora direto
do peito e não da ideia qualquer
de um qualquer outro sujeito
Que a vida se faça no instante
do nosso coração pulsante
antes que não haja mais a luz
que conduz com seu lume berrante
a alma que se insiste e demora errante

AB

7 pensamentos sobre “Labaredas

  1. Pingback: Labaredas | Biólogo31

  2. Tempos de problemas , que soluções ?
    ON OCTOBER 18, 2015 BY RAUL10BCEDIT
    Céu cinzento com nuvens de chuva , A água engrossa a uva , Aumenta o vinho mais fraquinho , Nos prados vão crescer mais pastagens , Já escasseavam as forragens , Aumenta o peso do “gadinho” , O agricultor mantém a calma , Já pairou a tristeza na alma .

    Novo Governo há indecisão , Quem ganhou foi a grande abstenção , Vão negociando os partidos , A solução é alternância ? Irão encontrar a consonância ? Vão afinar todos os ouvidos ? Europa não será como dantes , Com a “invasão” dos emigrantes .

  3. Cozinhado em lume brando
    ON OCTOBER 21, 2015 BY RAUL10BCEDIT
    Não tenho comigo labaredas , O meu coração tem brando lume ,Poucas vezes sente um queixume , Com uma centelha de ciúme , No meu caminho não há veredas , Mesmo outrora na juventude , Ao enfrentar a solicitude , Nos pecados tive a virtude , De manter prudente atitude , Procurava não cair na “rede” , Bebia pouco se tinha “sede” , Colegas houve com sentimentos , Meus amores quando estudante , Não seguiram muito adiante , Duravam pouco alguns momentos , Estudante tem sempre problema , Curso ou trabalho o dilema , Casamento só após a tropa , Fui feliz então com pouca roupa , Há quem acelere não se queixe , De ser “pescado” como um peixe , Ou partir linhas como garoupa .

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s